Recentemente, a bandeira da sustentabilidade passou a ser uma forte ferramenta de marketing.

Isso é ótimo, afinal, faz com que as empresas voltem a atenção às questões éticas e ambientais, trabalhando para deixar um planeta melhor.

cacaueiros mineiros: fruto da dedicação e persistência do agricultor, que insistiu na cultura do cacau fino mesmo não estando na “terra do cacau”.

Quando se trata de cacau e outros bens agrícolas, é sabido que a exploração infantil, animal e condições de trabalho análogas ao escravo ainda é uma triste realidade. Portanto, todo incentivo de grandes indústrias para melhorar esse cenário, deve ser muito bem vindo. 

Uma grande industria pode impactar a vida de muita gente, adotando práticas de comércio justo. 

A notícia abaixo (em inglês) mostra que o caminho é longo, e está apenas começando.

Com a safra de outubro ameaçada por muita chuva e umidade, os agricultores da Costa do Marfim e Gana estão frustados com o programa de comércio justo de gigantes como Barry Callebaut, Mars, Nestlé e Mondelez.

https://www.confectionerynews.com/Article/2019/10/14/Ghana-and-Cote-d-Ivoire-threaten-cocoa-sustainability-schemes-if-producers-don-t-pay-more-for-beans

Em paralelo, nós, pequenas empresas, conseguimos fazer esta ponte com a sustentabilidade de maneira mais rápida, porém impactando uma família de cada vez.

De pedido em pedido, ajudamos a melhorar o mundo daqueles que se empenham em estudar para plantar, colher e oferecer um cacau melhor, recebendo mais pelo seu trabalho que simplesmente o valor da cotação do dia na bolsa de valores.

Importante lembrar: sem comprador, não adianta ter o melhor cacau do mundo. 

É comum relatos de agricultores que, sem ter comprador, venderam a safra de cacau fino a preço de bolsa, perdendo todo seu esforço e empenho. Desanimador, não é?

Sorte nossa que eles persistem, e nos permite encontrá-los.

A valorização da vida do campo talvez seja o elo mais importante nesta cadeia de sustentabilidade. Valorizando o homem do campo, o trabalho com a terra de maneira ética, a preservação do meio ambiente adotando práticas modernas de agricultura, ajudamos nosso planeta a continuar verde, fresco e saudável para as próximas gerações.

E que as próximas gerações voltem a se interessar pela vida no campo.

Família Vronsky – Produtores de cacau fino E orgânico na Amazônia.